Guerra Fria

Historia,Corrida armamentista,EUA x URSS,Corrida espacial

Oque foi a Guerra Fria

A Guerra Fria foi um evento mundial que aconteceu no período pós-guerra e perdurou até o início dos anos 90. Nela, não havia batalhas entre as forças bélicas, nem ataques diretos; entretanto, o que aconteciam eram as famosas corridas, buscas pela hegemonia mundial e se deu entre os Estados Unidos e União Soviética, respectivamente, capitalismo e socialismo.

Causas da guerra fria


As origens da Guerra Fria podem ser encontradas no final da Primeira Guerra Mundial quando, na Rússia, ocorreu a Revolução Socialista, e os Estados Unidos despontavam como grande potência.

Nessa época, surgiu um clima de desconfiança no Ocidente com a possível expansão do socialismo, que poderia vir a se chocar com os interesses capitalistas. Mas foi com o término da Segunda Guerra Mundial que o antagonismo entre capitalismo e socialismo se acentuou.

Com a Conferência de Potsdam, o mundo foi, praticamente, dividido em áreas de influência entre Estados Unidos e União Soviética. As duas potências que emergiram no pós-Segunda Guerra demonstravam interesses em expandir-se econômica e politicamente.

A tensão entre Estados Unidos e União Soviética aflorou, em 1947, quando na Turquia e na Grécia — que pela Conferência de Ialta deveriam ficar sob domínio inglês — eclodiram movimentos comunistas que pretendiam aliar essas duas nações à União Soviética. As tropas norte-americanas intervieram na região, sufocando os movimentos comunistas.

Na ocasião, o presidente norte-americano, Harry Truman, enviou uma mensagem ao Congresso, dizendo que os Estados Unidos deveriam apoiar os países livres que estavam “resistindo a tentativas de subjugação por minorias armadas ou por pressões externas”. Na realidade, a mensagem do presidente Truman — que tratava sobre a Grécia e Turquia — justificava a intervenção militar dos Estados Unidos não só nesses países, mas também em outros, nos quais os comunistas pudessem vir a disputar o controle político.

Fases da guerra

Plano Marshall

A iniciativa surgiu do secretário de Estado dos Estados Unidos, George Marshall. Os americanos deram ajuda econômica no valor de cerca de 14 bilhões de dólares na época (equivalente a cerca de cem bilhões de dólares em 2018 ajustado pela inflação), que foram entregues para ajudar na recuperação dos países europeus que juntaram-se à Organização Europeia para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

Substituindo o anterior Plano Morgenthau, operou por quatro anos a partir de 3 de abril de 1948. Os objetivos dos Estados Unidos eram reconstruir regiões devastadas pela guerra, remover barreiras comerciais e modernizar a indústria, melhorar a prosperidade europeia e impedir a disseminação do comunismo. O Plano Marshall exigiu uma redução das barreiras interestaduais, uma queda de muitos regulamentos e encorajou um aumento da produtividade, bem o sindicalismo e os novos modelos de negócios "modernos".

O maior beneficiário do dinheiro do Plano Marshall foi o Reino Unido (que recebeu cerca de 26% do total), seguido da França (18%) e da Alemanha Ocidental (11%). Cerca de dezoito países europeus receberam benefícios do Plano. Apesar de ter sido prometida, durante a guerra, que receberia ajuda financeira, a União Soviética recusou-se a participar do programa por medo de perder sua independência econômica; além disso, também bloqueou a possível participação de países da Europa Oriental, como a Alemanha Oriental, Checoslováquia, Hungria e Polônia. Os Estados Unidos forneceram programas de ajuda similares na Ásia, mas não faziam parte do Plano Marshall.


Plano Comecon


O COMECON (Council for Mutual Economic Assistance, ou Conselho para Assistência Econômica Mútua) foi fundado em 1949, e visava a integração econômica das nações do Leste Europeu.

Os países que pertenciam a organização internacional foram a União Soviética, Alemanha Oriental (1950-1990), Tchecoslováquia, Polônia, Bulgária, Hungria e Romênia entre outros.q

Mais tarde outros países juntaram-se ao COMECON: Mongólia (1962), Cuba (1972) e Vietnã (1978). O aparecimento do COMECON surgiu no contexto europeu após o final da Segunda Guerra Mundial, do qual resultou a destruição de parte do continente Europeu e surgindo como a resposta soviética ao plano edificado pelos Estados Unidos, o Plano Marshall, que visava apoiar a reconstrução econômica da Europa Ocidental.

Esta organização extinguiu-se em 1991

O COMECON pode ser considerado uma resposta soviética ao Plano Marshall americano, afinal durante a Guerra Fria os dois blocos mantiveram-se sempre em equilíbrio. Por exemplo, foram criados também durante esse período a OTAN (EUA) em 1949 e o Pacto de Varsóvia (URSS), criado em 1955, dois pactos militares que tinham como objetivo proteger e unir os países membros.




Capitalismo X Socialismo


O capitalismo e o socialismo aqui, estão representando os dois grandes polos que conflitaram no período de 1947 a 1991, ou seja, o tema abordado é a Guerra Fria. Esse evento aconteceu dois anos após a Segunda Guerra Mundial; porém, na Guerra Fria não houve conflitos diretos, exceto em alguns países como Vietnã, as Coreias e Afeganistão, que foram o palco de algumas guerras paralelas.

Os dois regimes econômicos pelejavam, por um lado, o capitalismo com os Estados Unidos e por outro, a União Soviética e os demais países comunistas. O sistema econômico representado pelo país do Tio Sam visava o lucro. As propriedades privadas são detentoras dos meios de produção e distribuição e trabalham com a lei da oferta e procura.

De acordo com os americanos, o capitalismo simbolizava a liberdade, uma vez que cada indivíduo poderia ser dono do seu próprio negócio, pagar seus funcionários e investir onde bem entendesse. O regime capitalista já tinha tomado suas proporções. Ele culminou no período das manifestações, revoluções como a Revolução Industrial, a Independência dos Estados Unidos e a Revolução Francesa.

O capitalismo gera desigualdades sociais por causa da má distribuição de renda, o desemprego e outros fatores. Por outro lado, o socialismo visava uma economia voltada para o bem coletivo – diferente do individualismo do sistema econômico não planejado. No socialismo, a economia está em poder do Estado.

A distribuição dos recursos de forma justa, executada pelo governo vigente, bem como a remuneração dada a cada trabalhador, segundo sua produção e qualidade do exercício formam algumas das características do sistema de economia planejada ou planificada. O capitalismo e o socialismo são totalmente opostos em seus ideias.

A oposição entre as ideias dos dois sistemas econômico-político acarretou na deposição do então czar (título do soberano da Rússia, nos tempos imperiais e pronuncia-se: tsar), Nicolau II, em 1917. O mundo tinha apenas o capitalismo como forma de economia, visto que esse havia sido criado após o feudalismo – erradicado no século XVIII, em 1789.

As condições de vida, na Rússia, eram deploráveis e a população não tinha participação na política, uma vez que os chefes de estados eram os czares. Entretanto, baseado em ideias de Karl Marx, o povo se organizou e implantou o sistema socialista no país.

No período posterior à Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945), mais países adotaram o socialismo ao invés de continuar com o capitalismo, que foram: a formada União Soviética, a China, a Coreia do Norte, Cuba, Polônia, Iugoslávia e o Vietnã. Os Estados Unidos, Japão, Coreia do Sul, os países da América do Sul e da Europa Ocidental continuaram com o capitalismo.

Foi no ano de 1947, que começou a disputa da hegemonia do mundo e o duelo entre as duas grandes economias, o capitalismo e o socialismo. Ambos apresentavam mudanças para a sociedade: de um lado, os Estados Unidos enfatizavam a respeito da liberdade e democracia do capitalismo e, por outro ponto de vista, a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) mostrava o socialismo como solução dos problemas da sociedade, tais como: o desemprego, a desigualdade social e afins.

Todavia, os Estados Unidos eram bem superiores que a URSS e os demais países socialistas. Os norte-americanos detinham mais da metade da riqueza mundial através de suas reservas auríferas, indústrias, material bélico, petróleo e etc. Além disso, as tropas do exército americano estavam instaladas em muitos países europeus e no Japão.

A União Soviética também dominava a Europa; porém, ocupava a parte do leste – o continente era dividido em oriental e ocidental – e uma enorme faixa, na parte norte, do território asiático. Nada comparado ao domínio norte americano, uma vez que os locais ocupados pelo exército vermelho (URSS) eram de regiões agrícolas, ou seja, não contavam com muitos recursos.

Outro ponto contra a URSS foi o fato do país receber algumas batalhas da Segunda Guerra Mundial. A União Soviética teve perdas absurdas nesse período de 1939 a 1945. Foram mais de 20 milhões de mortos no país, uma perda inestimável para eles. Enquanto que os americanos perderam cerca de meio milhão em combates. A União Soviética já não se encontrava nas melhores condições. Os soviéticos tiveram grande parte de sua estrutura abalada, devido aos resquícios da Segunda Guerra Mundial.

www.000webhost.com